Review: Asus X555UB-BRA-XX299T

capa

Um bem haja a todos os leitores JotaReviews!

Voltamos à análise de portáteis desta vez. Quando se necessita uma plataforma móvel, nem sempre o orçamento permite que se opte por portáteis “gamer” que facilmente ultrapassam € 1.000 em Portugal, ou no caso do Brasil, os R$ 5.000!

Isso obriga a que se tenha “olho” para encontrar uma configuração portátil que, tendo um custo mais baixo, reúna as características básicas necessárias para atender portabilidade, autonomia, e ainda assim, permitir algum divertimento.

Hoje iremos analisar um portátil que tem o objectivo de atender essa demanda. O Asus X555UB-BRA-XX299T.

Background da marca:

A Asus é uma das marcas referência no mercado de hardware, periféricos, e também actuando de forma muito presente no mercado de computadores portáteis (tendo fechado 2015 com 10.7% do share mundial do mercado).

Equipamento em análise:

Hoje iremos avaliar o modelo X555UB-BRA-XX299T. É um portátil que promete autonomia, boa conectividade, fácil transporte e um preço relativamente em conta. Este modelo está presente no Brasil e é encontrado para venda entre os R$ 2.300 a R$ 2.500 em diversos estabelecimentos comerciais.

Especificações base:

As características do equipamento são interessantes, conforme indicado abaixo.

PROCESSADOR: Intel Core i5 6200U de 2.3 até 2.8 GHz Turbo;

MEMÓRIA RAM: 8 GB DDR3L 1600MHz;

PLACA DE VÍDEO: Geforce 940M 2 GB DDR3;

DISCO RÍGIDO: 1 TB 5400rpm;

TELA: 15.6″ HD 1366 x 768 pixels (glossy);

CONEXÕES: 1 HDMI, 2x USB 3.0, 1x USB 2.0, 1 RJ 45 ,1 COMBO audio jack, leitor de cartões de memória, Bluetooth e WiFi;

OS: Windows 10 64 bits incluso;

BATERIA: 2 cell 3300 mAh;

Peso: 2,30 kg;

O modelo em questão está consideravelmente equipado para a faixa de preço em que se insere. Após um rápido benchmarking de outros equipamentos concorrentes no mercado brasileiro, encontramos muitos portáteis sem placa 3D dedicada e processadores de geração anterior, com preços acima dos R$ 2.500.

CPUs da série U como este são concebidos para maximizar autonomia de bateria, com especificações bem distintas de outros CPUs com nomenclatura similar. O i5 6200u na verdade é um processador com dois núcleos físicos e hyperthreading (2 núcleos lógicos), pelo que é bastante similar em termos de características aos Core i3 presentes em desktops, com maior eficiência energética. O CPU está equipado com uma placa 3D onboard que alterna com a dedicada para eficiência energética em momentos de menor demanda gráfica.

A placa 3D dedicada é uma GeForce 940m, com 2Gb de memória DDR3 dedicada, e 64bits de bus. O chip pertence à arquitectura Maxwell que foi uma grande evolução em termos de eficiência energética. Não sendo uma placa de topo, deverá permitir, aliada à resolução 720p do monitor, rodar aplicativos 3D de forma satisfatória, tendo em conta a faixa de preço em que o portátil está inserido.

specsedit

Embalagem e conteúdo:

Longe vão os tempos em que receber um produto numa caixa de papelão inestética era aceitável. As marcas agora conferem a sua identidade nas mesmas e a Asus não é excepção.

IMG_0916

A embalagem é bonita, de dimensões reduzidas, e bem concebida para resguardar o equipamento no transporte, não deixando folgas para que o portátil e acessórios se movimentem no transporte.

IMG_0917

IMG_0918

O portátil:

O portátil vem protegido por um saco de TNT. Os periféricos são enviados dentro de um saco plástico. Boa surpresa no detalhe do carregador, que tem os pinos da tomada incorporado no mesmo, dispensando cabo adaptador adicional. O carregador é de 45w bi-volt e possui fiação extremamente longa.

IMG_0919

O interior do portátil também vem protegido por TNT. O corpo do portátil é totalmente plásticos de engenharia (ABS e ABS/PC), com textura agradável ao toque.

IMG_0923

Trata-se de um modelo de 15.6″ com teclas tipo chiclet, já habituais em praticamente todos os portáteis, e teclado numérico incluso, para quem fizer muito uso (salvação no excel!). O teclado não abate ao ser premido, necessitando de um nível de pressão muito elevado para que o corpo do teclado comece a abater.

IMG_0926

Na frente, os habituais adesivos de marketing, e informações complementares. Especial atenção para a informação de SAC da Asus Brasil.

IMG_0928 IMG_0929

O portátil não é demasiado espesso. E a nível de peso, a nossa balança marcou 2.314 gramas.

IMG_0922

Do lado esquerdo do portátil temos a maior parte das portas. Ligação A/C, porta RJ-45, VGA, HDMI, duas portas USB 3.0, e a fechadura kensington. Não gostámos do posicionamento da fechadura pois o cabo de aço do cadeado poderá interferir com o uso de periféricos e demais cabos.

IMG_0920

Do lado direito, leitor de cartões, audio de 3.5mm e porta USB 2.0, sendo que este equipamento não possui drive de DVD. Não deixa de ser interessante que a pré-disposição está lá, e do lado de fora do portátil não existe nenhuma etiqueta que indique a perda de garantia em caso de abertura. Portanto para os mais aventureiros, quem quiser aproveitar para tentar um HDD/SSD caddy, é possível que exista essa opção.

IMG_0921

O monitor de 15.6″ é do tipo glossy, ou seja, reflectivo. Pessoalmente, somos mais apologistas de telas matte, que podem ser utilizadas em qualquer espaço sem risco de reflexos.

IMG_0925

A Asus certamente deve ter optado por este tipo de modo a poder melhorar a iluminação de um painel tipicamente de baixo brilho.

IMG_0933

Como dissemos anteriormente, reflexos são algo a considerar na aquisição deste equipamento. Mesmo numa sala com pouca iluminação e fotos sem flash, é possível ver os mesmos.

IMG_0932

Apesar do monitor ser 720p, nesta dimensão não se nota pixelização excessiva e esta resolução nativa do monitor permite que a GeForce 940m tenha prestações mais razoáveis, sem precisar baixar a resolução manualmente e desfocar a imagem.

Desempenho:

Este portátil não é comercializado como um produto gamer, no entanto, tínhamos esperança que a GeForce 940m aliada à resolução mais modesta da tela permitisse algum tipo de divertimento. Utilizámos alguns títulos possuidores de benchmarks para verificar o que se poderia jogar dentro dos 30 frames. Esses títulos foram Dirt 3, Resident Evil 6, Batman: Arkham Knight e Shadow of Mordor.

Dirt 3: Com todos os detalhes em alto nível, obtivemos 66.81 fps médios, com mínimos de 54.31 fps.

Resident Evil 6: O benchmark informa notas finais do benchmark, sendo a melhor S, depois A, B e C sucessivamente. O equipamento recebeu nota A, com frames máximos de 48, médios de 32, e mínimos de 21.

Batman: Arkham Knight: O jogo selecciona automaticamente definições gráficas de acordo com o hardware encontrado. A maior parte das definições foi colocada em “baixo”, com filtragem de texturas trilinear. FPS máximos de 32, médios de 25 e mínimos de 20.

Shadow of Mordor: Seleccionamos detecção automática de configurações, que novamente nos remeteram para detalhes baixos com anti-aliasing FXAA. Resultados de 67.89 fps máximos, médios de 33.65, e mínimos de 23.02.

Chega-se à conclusão que realmente não se trata de um equipamento para gaming, mas quem tiver um orçamento reduzido, necessitar de portabilidade, e estiver disposto a fazer concessões nas opções gráficas, tem aqui um forte equipamento para considerar.

Refrigeração:

Em todos os nossos testes o portátil nunca teve grande aquecimento. O CPU atingiu máximos 62ºc sem que se tornasse incomodativo o uso, a área das mãos manteve-se bem fresca. A refrigeração não faz ruído excessivo. Nada a apontar neste quesito.

Armazenamento:

A Asus optou por incluir um HDD de 1Tb de 5400rpm. Espaço adequado porém as rotações tornam o mesmo um pouco demorado a reagir. Não recomendamos muitas tarefas simultâneas que dependam de acesso ao HDD, pois a lentidão irá fazer-se notar.

Autonomia:

Realizámos testes com o software battery eater com dois testes predefenidos e obtivemos resultados surpreendentes.

Para todos os testes o Wi-Fi foi deixado ligado, ainda que não estivesse em uso.

O primeiro teste consiste em um render 3D contínuo de uma pilha AA. Obtivemos uma autonomia de 1h52m até que fosse necessário realizar carregamento do PC.

O segundo teste consiste na abertura de um documento de notepad, em que o software sucessivamente simula a leitura do mesmo fazendo scroll de forma aleatória. Iniciámos este teste às 00h00 e de manhã quando voltámos ao equipamento (perto das 7 horas da manhã), o mesmo ainda estava a correr o teste. Terminou com 9h38m de autonomia.

É lógico que estamos a falar de benchmarks sintéticos e que o modo de uso do portátil introduz imensas variáveis à autonomia que o equipamento irá atingir. Mas são resultados muito interessantes, a bateria demonstrou um comportamento exemplar.

Conclusão:

O Asus X555UB-BRA-XX299T é um equipamento deveras interessante. Não vai bater quaisquer recordes de performance. Mas a verdade é que no mercado brasileiro, nesta faixa de preço, dificilmente se encontra um portátil com características gerais tão sólidas como este.

Para o usuário que quer combinar um misto de performance aceitável, peso adequado, preço competitivo, e uma experiência geral de utilização bastante agradável, será uma opção muito forte a considerar.

CLICA PARA COMENTAR!

Comentários

Avaliação:
Desempenho
7
Design
7
Refrigeração
8
Relação Preço/Performance
9.5
Embalagem
9
COMPARTILHE
Filipe Martins
Oriundo de Olhão, mas tendo vivido a maior parte da sua vida em Leiria, Filipe Martins está ligado ao ramo da informática desde o início da sua carreira profissional. Hoje radicado em Minas Gerais, Brasil, mantém-se ligado ao mundo da tecnologia através das suas participações em fóruns da especialidade tanto portugueses como brasileiros, sendo conhecido pelo nickname SleepyFilipy. Integrou-se na equipa JotaReviews em Junho de 2016.