Review: Fractal Define Mini C

CAPAreview

Introdução

Olá a todos os leitores JotaReviews, um feliz Natal para vocês!

Hoje trazemos uma análise a uma caixa Micro ATX, formato ideal para quem quer reduzir dimensões sem comprometer demasiado as opções disponíveis para expansão do seu PC. A caixa de hoje é a Fractal Define C Mini, substituta da boa Define Mini. Tendo sido um utilizador da Define Mini durante muito tempo, é com grande expectativa que parto para a análise deste produto.

O JotaReviews agradece a parceria da Fractal Design por nos ter disponibilizado este exemplar par análise.

Conteúdo

A Fractal Define C Mini vem acompanhada de um conjunto de abraçadeiras, parafusos pretos, e suportes para motherboard. Nada de extraordinário mas que cumpre perfeitamente os requisitos necessários.

.

Especificações

A B +
1 Preço90€ / 100€
2 Peso 6.3 Kg ou 7.7kg incluindo embalagem
3 Dimensões (L x W x H ) 399 x 210 x 399 mm
4Motherboards CompatíveisMicro ATX e Mini ITX
5Slots de Expansão5
6Baías2x 3.5" HDD / 3x 2.5" SSD
7Portas I/O2 X USB 3.0, Audio In & Out
8Ventoinhas Pré-instaladas 2 Fractal Design Dynamic X2 GP12 120mm
9Pontos de montagens ventoinhasFrontal: 2X 120/140mm Traseira: 1X 120mm Topo: 2X 120/140mm Base: 1X 120mm
10Suporte RadiadoresFrontal: 280/240/140 e 120mm. Topo: 240/120mm. Traseira: 120mm
11Altura máx. Cooler CPUAté 168mm
12Comprimento máx. GPUAté 315mm com ventoinhas frontais montadas
13Comprimento máx. Fonte de AlimentaçãoAté 175mm
14Filtros de poeiraFrontal | Superior | Base
15Cores disponíveisPreto
+

.

Exterior

À primeira vista, apesar de ser formato Micro ATX, a Define C Mini transmite a sensação de ser grande, o que se vem a confirmar, pois esta caixa não é muito menor que muitas mid towers que existem no mercado com suporte ATX.

IMG_1503

IMG_1506

Nota para o excelente acabamento conferido pela Fractal à caixa. Estão de parabéns neste quesito, pese embora o uso de um acrílico fino que não confere grande solidez. Tratando-se de uma nova revisão da caixa, é curioso que a Fractal não tenha ido na onda das demais fabricantes e apostado no vidro temperado.

Toda a caixa é preta com excepção das coberturas de baías PCI. É uma caixa muito sóbria e discreta, perfeita para quem pretende um design minimalista na sua secretária, tal como a Fractal já nos tem habituado.

A frente da caixa é de plástico, com um acabamento que tenta assemelhar-se a metal escovado. É totalmente fechada na frente, salvo pelas ranhuras laterais que permitem entrada de ar através de uma ventoinha de 120mm pré instalada, bem como um filtro de poeira.

IMG_1508

IMG_1518

Remover a frente da caixa é uma questão de puxar até que os suportes embutidos encaixem. Como todas as frentes plásticas, recomendamos cuidado ao fazer esta operação de modo a não quebrar os suportes. Será ainda necessário remover o filtro de pó presente no fundo da caixa para conseguir uma pegada melhor na frente da caixa para desmontar a frente. A Fractal acoplou material anti ruído na frente da caixa para melhorar a performance acústica.

O painel I/O encontra-se no topo, e de modo a manter a estética da caixa, a Fractal optou por utilizar portas USB 3.0 pretas. É um bom detalhe pois em algumas caixas as portas azuis destoam completamente.

IMG_1527

Os pés da caixa são em borracha de modo a reduzir transmissão de vibrações e impedir que a mesma deslize.

IMG_1513

No topo da caixa temos também filtro de poeira, e possibilidade de melhorar o fluxo de ar da caixa através do sistema ModuVent, sendo necessário retirar o mesmo por dentro da caixa, o que é mais trabalhoso do que deveria ser.

Interior

IMG_1538

O interior da caixa conta com cobertura completa para a fonte de alimentação bipartida com possibilidade de remover somente a parte frontal da mesma, cinco slots PCI, o que permitirá a utilizadores que possuam certas boards micro atx, detentoras de maiores capacidades de expansão, a criação de sistemas multi GPU.

Há bastante espaço para se trabalhar, permitindo uma boa arrumação.

A instalação da fonte de alimentação é realizada através de uma moldura que permitirá depois deslizar a fonte para o lugar. Interessante que a Fractal colocou material anti vibratório no local onde a fonte desliza para impedir transmissão de vibrações da ventoinha, porém esse material não está presente na moldura que segura a fonte, pelo que a solução não será tão eficiente como poderia ter sido.

A Define C Mini possui 3 suportes dedicados para drives de 2.5″, fixas por um só parafuso, de grande facilidade de uso. Nada a apontar.

IMG_1556

No fundo da frente da caixa, existem também duas baías que podem ser usadas tanto para drives de 3.5″ como 2.5″, estando estas baías equipadas com borrachas para eliminar vibrações. É possível mover estas baías ao longo do fundo da caixa , ou remover as mesmas totalmente para melhor arrumação ou soluções de WC. Atenção que dependendo da largura, alguns radiadores de 280mm poderão ser incompatíveis nesta caixa (máximo de 145mm).

As ventoinhas utilizadas nesta caixa são da própria Fractal, o modelo GP-12, presentes na frente e traseira da caixa. Não são ventoinhas PWM, e são consideravelmente ruídosas. A Fractal poderia ter investido um pouco mais neste ponto.

IMG_1567

No lado do tabuleiro da motherboard, existe cerca de 3cm de espaço até à lateral, permitindo arrumação fácil de quaisquer cabos. A caixa possui ainda pontos de fixação para facilitar a utilização de abraçadeiras ou velcro, além das borrachas existentes nas áreas de passagem de cabos. Sendo os cabos do painel I/O todos pretos, é fácil conseguir não só uma boa arrumação, como uma boa estética ao utilizar esta caixa.

Aspectos Positivos

Qualidade de construção;
Painel em acrílico;
Suporte para radiadores de 240 ou 280mm;
PSU Cover;
Dimensões adequadas para um sistema micro ATX.

Aspectos menos Positivos

Ventoinhas poderiam ser mais silenciosas;
Qualidade do acrílico.

CLICA PARA COMENTAR!

Comentários

Avaliação:
Design
9
Qualidade de Construção
8.5
Acessórios/Características
8.5
Custo/Benefício
8
Compatibilidade
9
COMPARTILHE
Filipe Martins
Oriundo de Olhão, mas tendo vivido a maior parte da sua vida em Leiria, Filipe Martins está ligado ao ramo da informática desde o início da sua carreira profissional. Hoje radicado em Minas Gerais, Brasil, mantém-se ligado ao mundo da tecnologia através das suas participações em fóruns da especialidade tanto portugueses como brasileiros, sendo conhecido pelo nickname SleepyFilipy. Integrou-se na equipa JotaReviews em Junho de 2016.