Review: GALAX GeForce GTX 1080 EXOC

capa (facebook)

Um bem haja a todos os leitores do Jotareviews.

Apesar de já se ter passado pouco mais de um mês desde o lançamento das novas gráficas da Nvidia, no mercado português a oferta de chips Pascal com modelos customizados de refrigeração continua reduzida, com Asus, MSI, Gigabyte a encabeçarem a lista das marcas que anunciaram, mas não entregaram.

Atentos a este fenómeno, e querendo ser os primeiros a meter as mãos em algo novo, a equipa Jotareviews decidiu adquirir um GPU GTX 1080 de uma marca muito pouco conhecida no mercado nacional, mas com boas referências nos mercados do hemisfério sul. Falamos da Galax, marca existente desde a fusão das antigas Galaxytech (fundada em 1994) e KFA2 no final de 2014. Talvez o produto que mais exposição dá a esta marca seja a linha HOF (Hall of Fame) de placas gráficas, mas os mesmos contam não só com as HOF, com também diversas outras linhas de GPUs. É precisamente num desses GPUs que estaremos focados nesta análise, a Galax GTX 1080 EXOC (Extreme Overclock, Modelo: 80NSJ6DHL4EC). A Galaxy conta ainda com a parceria e validação da conhecida TECLAB no mercado sul americano, portanto temos grandes esperanças para placa no quesito de overclock!

Especificações Técnicas

CUDA Cores 2560
Base Clock (MHz) 1657
Boost Clock (MHz) 1797
Memory Speed 10Gbps
Standard Memory Config 8GB
Memory Interface Width 256-bit GDDR5
Memory Bandwidth (GB/sec) 320
OpenGL 4.5
Bus Support PCI-E 3.0
Microsoft® DirectX® 12
Virtual Reality Ready Yes
Display Support: Multi Monitor 4 Displays
Maximum Digital Resolution 4096×2160
Maximum VGA Resolution 2048×1536
HDCP Yes
HDMI Yes
Standard Display Connectors DVI-D, HDMI, 3x DP 1.4
Audio Input for HDMI Internal
Maximum Graphics Card Power (W) 180W
Minimum System Power Requirement (W) 500W
Supplementary Power Connectors 1x6pin、1x8pin
Dimensions(with Bracket): 296 x 144 x 43mm
Dimensions(without Bracket): 282 x 128 x 43mm

Os dois pontos principais que diferem do modelo de referência, Founder`s Edition, é o overclock de fábrica de 50mhz (bastante conservador tendo em conta o auspicioso nome “Extreme Overclock”), e os conectores de energia de 6pin+8pin, já que levando em conta a capacidade de overclock do modelo de referência, não justificaria à partida a inclusão de um conector adicional em função de um ligeiro overclock de 50mhz.

Embalagem e conteúdo

O azul predomina na embalagem da Galax, que além do habitual material de marketing e especificações básicas, conta com a etiqueta de certificação da Teclab.

Por dentro da embalagem da Galax com a respectiva propaganda e informações, encontramos uma segunda embalagem de cartão rígido, com um acolchoamento e tampa de espuma de poliuretano semi-rígida de alta densidade no interior, de modo a proteger a placa gráfica durante o transporte.

A mesma está contida dentro de um saco plástico anti estático. Além da gráfica, são fornecidos dvd com drivers (o ideal na aquisição de uma placa gráfica, é sempre que instalem os drivers mais recentes existentes no site do fabricante, pois o driver contido na caixa pode encontrar-se desactualizado), manual do usuário, guia de instalação rápida, cartão de membro premium da Galax, e adaptadores 2x Molex para PCI-e 6pin e 8pin.

Em Detalhe

A Galax GTX 1080 EXOC é totalmente preta, vem com backplate metálico incluso que auxilia a manter a gráfica sem deformações em função de peso, bem como na dissipação de calor.

Os conectores de energia são ambos pretos, porém possuem tonalidades diferentes, talvez se trate de um poka yoke no fornecedor de conectores para não existirem erros de remessa, ou no processo de assemblagem da Galax.

As duas ventoinhas encarregues de reger o fluxo de ar são de 100mm com leds vermelhos, e estão alojadas numa face metálica com pintura preta que protege o dissipador. Ao contrário da concorrência, as ventoinhas da Galax não desligam quando em idle, porém sob descanso são perfeitamente silenciosas, não sendo possível distinguir as mesmas das ventoinhas presentes na caixa de teste (Bequiet! Pure Wings 2).

Na lateral, as palavras inscritdas “GeForce GTX” possuem leds RGB programáveis através do software da Galax (disponível no site), que de origem acendem na cor vermelha. Na lateral encontram-se também os conectores SLI. De referir que conforme indicação da Nvidia, para jogos somente SLI de duas vias será suportado, sendo que três e quatro vias estarão reservados para alguns benchmarks. Além disso, a Nvidia recomenda que para resolução 4K a 60 ou mais hz, seja utilizada a nova ponte SLI HB, que ocupa ambos os conectores. Para resoluções abaixo as pontes actuais funcionam sem qualquer entrave.

Dois pontos negativos na aparência da placa, são primeiramente que apesar de se poder escolher a cor dos leds laterais, os pertencentes às ventoinhas estão limitados a vermelho, o que poderá dificultar certos esquemas de cor em algumas builds. Segundo, o acabamento do aplique dos leds laterais, apesar de bem feito, permite que alguma luz escape na borda do aplique, o que é visível sob certos ângulos.

No bracket traseiro existem três ligações displayport, uma ligação HDMI e uma ligação DVI.

1
2
Avaliação:
Desempenho
9
Dimensões
8.5
Design
7.5
Ruído
8.5
Relação Preço/Performance
9
COMPARTILHE
Filipe Martins
Oriundo de Olhão, mas tendo vivido a maior parte da sua vida em Leiria, Filipe Martins está ligado ao ramo da informática desde o início da sua carreira profissional. Hoje radicado em Minas Gerais, Brasil, mantém-se ligado ao mundo da tecnologia através das suas participações em fóruns da especialidade tanto portugueses como brasileiros, sendo conhecido pelo nickname SleepyFilipy. Integrou-se na equipa JotaReviews em Junho de 2016.