Review: Gamdias Hebe M1

Introdução

Olá a todos os leitores!

Depois da nossa última review do combo da Gamdias Hermes E1, partimos agora para áudio. A Gamdias disponibilizou-nos um exemplar do HEBE M1 RGB, um headset de $69.99 (preço de venda anunciado no site da marca), com um conjunto de features que visam aumentar ao máximo o Custo/Benefício, bem dentro da imagem que a Gamdias tem apresentado. Não é um preço de todo baixo, mas promete pelas especificações do produto

A nível pessoal, sendo eu um utilizador de longa data de headphones Hi-Fi stereo à “moda antiga” e com microfone separado (foram quase 10 anos com os mesmos headphones!!!), confesso que será um desafio pessoal para mim realizar uma review a um headset gaming completo que se desvia totalmente do que é o meu padrão, mas como sempre, tentarei ser o mais imparcial.

hebeGIF

Embalagem e Conteúdo

Como é característica da marca, a embalagem vem repleta de informação a respeito do produto. Dificilmente um potencial utilizador se sentirá desinformado. Especificações, pontos fortes, e a menção às luzinhas RGB do momento, tudo está bem descrito. Não faltou a língua portuguesa, É possível ver de relance o produto na lateral da embalagem.

No interior, o produto vem bem acondicionado, sem folgas para se movimentar. Não existe nenhuma separação entre a embalagem exterior e o produto, porém parece ser o suficiente para garantir que não existam danos, claro está, excluíndo algum fator externo que impacte no produto ou viole a embalagem. O headset vem seguro a uma fixação de plástico para o manter firmes dentro da embalagem.

Logo à primeira vista, estamos perante um produto bem acabado, os diversos componentes fazem um bom acoplamento entre sim, sem folgas ou falhas de montagem. O arco é fixo sem ajuste, com uma banda interior que se encarrega de ajustar a cada utilizador. Em três utilizadores que testaram o headset, nenhum se sentiu desconfortável com este mecanismo.

Os pads são revestidos no chamado couro ecológico (vinil/pvc pelo toque???), e devem conferir boa durabilidade ao produto, uma vez que este tipo de material chega a ser utilizado até em automóveis para substutir couro de origem animal.

O headset é de ligação USB, dispensando o uso de placa de som no PC. Possuem ainda controle incorporado, que permite ajustar volume, microfone, iluminação, e uma opção da Gamdias que utiliza os graves para causar “pulsos” e vibrar o headset. Esta função funciona na perfeição, e para quem gostar do efeito, será bastante agradável.

Em Detalhe

Com um cabo de cerca de dois metros, o HEBE M1 confere espaço para que o utilizador se movimente no espaço de trabalho. O cabo, não possuindo sleeving, é de boa qualidade.

A iluminação RGB está lá, é agradável ao olhar, porém não consigo deixar de me perguntar até que ponto isso é essencial, uma vez que vai ficar na cabeça e o utilizador vai deixar de a ver… Mas para as fotos que tirámos, sem dúvida, impecável!

Especificações

hebesspecs1

.

Conforto

O utilizador que teve a gentileza de se disponibilizar para as fotos, utilizou os HEBE M1 durante uma tarde de Gaming, sem qualquer sensação de fadiga nos ouvidos, seja derivado de peso, aquecimento, ou volume. Nota extremamente positiva para o isolamento de som, nem eu que estava do lado de fora ouvi o som dos jogos testados, nem o utilizador ouvia a minha voz a não ser que a mesma fosse elevada a um tom extremamente elevado..

Microfone

A qualidade do microfone é excelente para um headset nesta faixa de preço. A voz fica clara, bem definida, e mesmo com o microfone com ganho alto, não distorceu. A Gamdias está de parabéns em especial neste ponto. Mas um ponto de atenção é que devido a essa mesma qualidade, caso o ganho esteja muito alto, e o volume do headset também, o microfone vai conseguir captar o som emitido pelos drivers, podendo gerar uma sensação de “eco” para quem está do outro lado a ouvir-nos.

Para que possam conferir a boa qualidade do mesmo, deixamos aqui uma gravação realizada com o microfone do HEBE M1.

Qualidade de Som

O HEBE M1 é stereo e permite a virtualização de 7.1, que poderá ser ativada a partir do software HERA. Quanto a essa virtualização, foi testada em filmes e jogos. E se em filmes (amostra com Dolby DTS) pouco a nada se notou, já em jogos, sem dúvida que se faz notar.

Agora, se esse “surround” é ou não uma mais valia, é questão de gosto, pois pessoalmente preferi utilizar o Gamdias HEBE M1 com o 7.1 desligado, o que confere para mim um áudio mais real, estando tão perto dos ouvidos. Isto é válido não só para os HEBE M1, mas para os demais headsets que testes, alguns inclusive com drivers adicionais reais, sem qualquer tipo de virtualização. Surround para mim demanda que os vários satélites estejam localizados em diferentes posicionamentos e distâncias, e heaphones/sets não são para isso. De novo, este parágrafo detalha somente a minha experiência e opinião a respeito deste assunto. Outros utilizadores reportam que adoram a experiência, mas para mim, surround em headsets parece a mesma coisa que ouvir um sistema surround na sala com todos os satélites de frente para o sofá…

A nível de clareza de som, os HEBE M1 conseguem bater-se de frente com quaisquer headpones HiFi de entrada, ou outros headsets gaming do mesmo patamar. Os graves são especialmente gratificantes em jogos de ação. Os agudos mereceriam uma afinação melhor, mas isso afeta vários headsets gaming, que dão preferência a BASS bombástico para fazer vibrar o utilizador.

Aspetos Positivos

Qualidade de construção e conforto;
Excelentes graves;
Microfone de qualidade acima da média;
Software que inclui 7.1 virtual (para quem gosta).

Aspetos menos Positivos

Preço poderia ser mais agressivo (cortar nos LEDs para aumentar competitividade?);
Microfone com demasiada sensibilidade poderá captar som vindo dos drivers.

CLICA PARA COMENTAR!

Avaliação:
Design
8.5
Qualidade de Construção
9
Acessórios/Características
8.5
Qualidade de som
8
Custo/Benefício
8
COMPARTILHE
Filipe Martins
Oriundo de Olhão, mas tendo vivido a maior parte da sua vida em Leiria, Filipe Martins está ligado ao ramo da informática desde o início da sua carreira profissional. Hoje radicado em Minas Gerais, Brasil, mantém-se ligado ao mundo da tecnologia através das suas participações em fóruns da especialidade tanto portugueses como brasileiros, sendo conhecido pelo nickname SleepyFilipy. Integrou-se na equipa JotaReviews em Junho de 2016.