Review: Gamesir G4S

Introdução

Olá a todos! Cá estamos para mais uma review, e desta vez vamos para os periféricos. Vem mesmo a calhar uma vez que sempre que me convencem a experimentar um jogo para android, acabo sempre com o nível de stress em altas e a querer atirar o smartphone contra a parede à medida que dou gargalhadas completamente psicopatas… Em muitos jogos é um lixo ter que usar múltiplos controles no touchscreen, o que é uma pena, pois até existem alguns títulos bastante interessantes.

Há algum tempo, apareceram gamepads que permitem emparelhar com o dispositivo Android e utilizar o controlador físico. O problema é que muitos destes gamepads, sofrem de problemas de compatibilidade, ou de construção com materiais de segunda categoria.

A GameSir é dos fabricantes que mais tem aprimorado este tipo de equipamentos. Estabelecida em 2013 na cidade de Hong Kong, a marca tem se empenhado em criar equipamentos que facilitem a jogabilidade de títulos mobile. Um desses equipamentos, é o GameSir G4s, modelo que iremos analisar. É um equipamento que suporta ligação a dispositivos Android, Windows, e compatível com a PS3. O valor de mercado deste gamepad é de cerca de € 50,00 em Portugal, e no Brasil cerca dos R$ 350,00. Existe um modelo um pouco mais barato (cerca de € 9,00 a menos), o G4, cuja diferença é não possuir compatibilidade com Playstation 3.

Queremos desde já agradecer à GameSir por nos ter disponibilizado este exemplar para análise.

GameSir Logo

Embalagem e Conteúdo

A embalagem do G4s bem diferenciada dos demais periféricos que temos avaliado, nada de papel ou cartão, esta embalagem é em plástico acrílico, com a tampa transparente e o fundo glossy black. Por muito que abanasse, revolvesse, ou inclusive deixar cair a embalagem ao chão (sim, caiu, a culpa foi do meu Pug, mas acabou por ser um bom teste), sob circunstância alguma o equipamento se deslocou do seu suporte plástico. Estamos a falar de um acondicionamento excelente.

Na embalagem encontramos também todas as informações referentes ao produto, nomeadamente compatibilidade e funções, bem como a identificação do modelo e empresa fabricante. Não sei se o que me surpreendeu mais nas informações foi o erro de escrita, ou o nome da empresa… Fuga das galinhas? Sério? Grande filme, boa inspiração!

Abrindo a embalagem, vemos como o comando está acomodado, e encontramos os acessórios, um cabo USB para conexão a PC e/ou carregamento, um manual, e um adaptador para suporte a smartphones mais “abaulados”.

O manual descreve os diferentes métodos e códigos de cor para emparelhamento com equipamentos diferentes.

DSC_0448

 

Em Detalhe

Tal como na última análise que fizemos a um gamepad, o G4s busca “inspiração” para o seu layout ao padrão originalmente utilizado pela Xbox 360, adicionando material antiderrapante às pegas.

A nível de peso e balanceamento, está bem distribuído, principalmente ao ser utilizado em conjunto com um equipamento Android no suporte. A distribuição fica excelente e isso resulta em cansaço decrescido após uso prolongado.

A nível de qualidade de acabamento, o comando está muito bem trabalhado. Os plásticos não possuem rebarbas ou rechupes, nem manchas. A iluminação é bem feita, não sendo demasiado forte, pelo que não deverá incomodar em uso nocturno. O adaptador para dispositivos de formato diferente é bem pensado, e muito útil, já que sem ele o Moto X que utilizei para teste não ficaria de modo algum seguro, em função do formato da traseira do aparelho. Com este adaptador, o smartphone ficou sempre seguro.

 

Utilização

O G4s é um comando que suporta 3 tipos de conectividade. Cabo USB, Bluetooth 4.0 e Wireless 2.4Ghz, todos estão disponíveis para utilização. No caso do Wireless, o comando vem com um conector USB incluso que é removível do próprio comando. Não encontrámos quaisquer problemas de emparelhamento relativos ao comando em si. Tivemos um problema ao emparelhar via Bluetooth com o Moto X que utilizámos para teste, mas foi prontamente resolvido com um reboot, sinal de que algo se passava com o Smartphone e não com o gamepad.

Em teste prático (Darksiders Warmastered no PC, e Asphalt 8 no smartphone) a reacção do gamepad é excelente, não apresentando qualquer tipo de lag.

O sistema de retenção do equipamento é muito funcional, mas aqui deparámo-nos com um ligeiro problema de compatibilidade. O sistema de retenção irá pressionar botões de volume em modelos de smartphones que os possuam centrados na lateral, caso do Moto X. Testámos também um LG G4 e uma vez que os botões se encontram na traseira do aparelho, não existiu qualquer inconveniente. Este “problema é de fácil solução, bastando para isso colocar o smartphone um pouco desalinhado. Inicialmente pensei que isso fosse causar transtorno ao uso, mas não foi o caso, já que se joga perfeitamente.

A bateria tem uma autonomia de mais de 18 horas anunciada pela marca, e na verdade uma carga foi suficiente para tirar partido do equipamento por um fim de semana de uso, restando ainda alguma carga.

 

.

Aspetos Positivos

Longa duração de bateria em uso contínuo;
Bateria embutida ao invés de pilhas AA;
Plug and Play;
Boa qualidade no acabamento e iluminação;

Aspetos menos Positivos

Sistema de encaixe poderá interferir com botões do smartphone;

.

Gold

CLICA PARA COMENTAR!

Comentários

Avaliação:
Design
8
Qualidade de Construção
9
Acessórios/Características
8.5
Compatibílidade
9
Custo/Benefício
8
COMPARTILHE
Filipe Martins
Oriundo de Olhão, mas tendo vivido a maior parte da sua vida em Leiria, Filipe Martins está ligado ao ramo da informática desde o início da sua carreira profissional. Hoje radicado em Minas Gerais, Brasil, mantém-se ligado ao mundo da tecnologia através das suas participações em fóruns da especialidade tanto portugueses como brasileiros, sendo conhecido pelo nickname SleepyFilipy. Integrou-se na equipa JotaReviews em Junho de 2016.