Review: Synology DS215j

capa

Introdução

 

 

A Synology, à semelhança da QNAP, é uma empresa especializada em servidores NAS.
Esta marca comercializa diversos NAS, desde os mais básicos para uso pessoal, até aos mais avançados para uso profissional em pequena, média e grande escala.

O NAS a que vou fazer review é destinado a uso pessoal e contém 2 baías de 3.5″. É o Synology DS215j

Especificações oficiais

 

 

Embora a Synology não mencione, este NAS tem um CPU Marvell Armada 375 Dual Core 800MHz e 512 MB de RAM DDR3.

Embalagem e conteúdo

 

 

1

A embalagem é em cartão e é muito simples. Tem uma alça na parte de cima para facilitar o transporte.
Na parte da frente tem uma pequena foto do produto. Na parte de trás tem algumas especificações do NAS e o conteúdo da embalagem.

2

Por dentro, a caixa tem 2 compartimentos. Do lado esquerdo estão os acessórios e do lado direito está o NAS, devidamente protegido.

3

A nível de acessórios temos o cabo de alimentação, um cabo Ethernet (que não está na foto) e o transformador de 60W, juntamente com os parafusos e o manual de instruções. Há 10 parafusos para fixar os discos rígidos e 1 parafuso de reserva para fechar a caixa do NAS.

4

Para aceder ao interior do NAS é necessário remover 2 parafusos que estão na traseira e deslizar a caixa até que ela se divida a meio.

5

Por dentro temos as 2 baías de 3.5″ e uma ventoinha exhaust. Toda a electrónica está escondida por baixo das protecções metálicas.

6

Embora este NAS seja destinado a drives de 3.5″, é possível instalar um disco de 2.5″ no slot inferior sem qualquer adaptador, no entanto, não é possível fixá-lo com os parafusos, pelo que se recomenda usar um adaptador para 3.5″ (a Synology comercializa um adaptador mas infelizmente é vendido à parte).

7

A instalação de discos de 3.5″ é fácil. É só deslizar o disco até ao conector SATA e fixá-lo através de 4 parafusos. Estão incluídas borrachas anti vibrações (não há nenhuma de reserva, por isso é melhor não as perder).

8

Todo o I/O, inclusive o Kensington Lock, está na parte de trás do NAS. Há uma porta de rede gigabit, 2 portas USB (das quais uma é USB 3.0), a entrada para a alimentação e o botão para RESET.

9

Na parte da frente estão várias indicações luminosas e o botão de power on/off. Há um total de 5 LEDs, 1 a indicar se o NAS está ligado ou desligado, 2 para o estado dos discos rígidos, 1 para a utilização da rede e 1 para o estado geral do equipamento. Por norma as luzes estão verdes. Quando estão desligadas significa que o NAS está suspenso. Quando estão laranja significa que há qualquer coisa de errado com o NAS ou com algum dos discos rígidos.

O NAS esteticamente é dos mais bonitos que já vi. É maioritariamente branco, com linhas elegantes e na lateral está o logótipo da Synology com várias ranhuras para a entrada de ar.

Instalação do DSM

 

 

Inicialmente o DS215j deve ser ligado à rede por um cabo, de preferência gigabit para aproveitar as altas velocidades de transferência.
O primeiro passo é a instalação do sistema operativo. O DSM (DiskStation Manager) é um sistema operativo proprietário da Synology utilizado em todos os produtos da marca. É um sistema intuitivo e fácil de usar, mesmo para iniciantes. Tem constantes atualizações para adicionar novas funcionalidades ou corrigir bugs.

A instalação do sistema operativo pode ser feita de 2 maneiras: através do browser, ou através da aplicação desktop, chamada Synology Assistant.
Se for pelo browser, o manual indica que basta aceder ao link find.synology.com ou a diskstation:5000 para prosseguir a instalação. Pessoalmente não consegui fazer a instalação assim, por isso tive de a fazer pelo Synology Assistant.

A1

Existe ainda a possibilidade de fazerem a instalação pelo browser através do IP que o Synology Assistant vos dá. No meu caso, como o IP é 192.168.1.85, basta aceder à página 192.168.1.85:5000.

A2

Durante a instalação é vos pedido alguns dados e é apresentada uma lista de aplicações que podem instalar. Estas apps podem ser instaladas mais tarde, por isso podem ignorar este passo.
Também é pedida a criação de um utilizador QuickConnect. O QuickConnect é uma funcionalidade que vos permite aceder a qualquer momento, fora de casa, ao painel de administração do NAS. Também é opcional e pode ser feito mais tarde.

A3

Após a instalação do sistema operativo é altura de configurar o sistema. Daqui para a frente, o endereço para entrar no painel de administração é igual ao endereço de instalação do SO (IP seguido da porta 5000).

A4

O painel de controlo está dividido em 4 categorias: Partilha de Ficheiros, Conectividade, Sistema e Aplicações.
A criação dos volumes pode ser feita no “Gestor de Armazenamento”. A criação de pastas partilhadas é feita na secção “Pasta Partilhada” do Painel de Controlo.
Recomenda-se explorar o Painel de Controlo e acabar a configuração, tais como a criação de utilizadores com diferentes permissões e a mudança para um IP estático.

Testes de velocidade

 

 

Foram utilizados 2 discos para os testes, um HDD Seagate de 1 TB e um SSD Intel de 40 GB. Adicionalmente também foi usada uma pen USB 3.0 de 8 GB da ADATA, ligada à porta USB 3.0 do DS215j.

O computador utilizado foi o seguinte:
i7 6700K @ 4.5 Ghz
Asus HERO VIII
32 GB GSKILL @ 3200 MHz
Windows 10 Pro x64

Versão do DSM: 6.0.2-8451 Update 9
Entre o computador e o DS215j há 3 switchs gigabit, todos interligados com cabos de rede Cat 5e.

Testes de leitura / Escrita sequenciais (ficheiro de 1 GB)

PC <-> NAS @ HDD

B1

PC <-> NAS @ SSD

B2

PC <-> NAS @ PEN USB 3.0

B3

Testes de descompressão (ficheiro .rar de 355 MB)
HDD ~ 11.37 sec
SSD ~ 11.21 sec
USB ~ 64.20 sec

Para referência, a descompressão do mesmo ficheiro no computador demorou menos de 1 segundo utilizando o WinRAR 5.40 beta 3 64-bit.

Consumo energético

 

 

O consumo foi medido diretamente da tomada com um medidor de potência da CHACON com uma resolução de 0.1 W e sensibilidade de +/- 0.5 %.

Equipamento ligado com os discos também ligados, sem qualquer uso – 11.6 W
A escrever para o HDD – 14.5 W
A escrever para o SSD – 14.0 W
A escrever para o HDD e SSD em simultâneo – 14.9 W
A ler do HDD – 14.4 W
A ler do SSD – 24.8 W
A ler do HDD e do SSD em simultâneo – 14.4 W
Equipamento com os discos e SO hibernado – 5.6 W
Equipamento desligado – 0.7 W

Aplicações úteis da Synology

 

 

O “Centro de Pacotes” da Synology tem muitos pacotes que podem ser instalados (da própria Synology e de terceiros). De entre as dezenas de apps que existem, vou destacar apenas as que considero essenciais.

Download Station – Gere downloads feitos por muitos protocolos, incluindo HTTP e FTP. Serve também como client de torrent, embora muito básico.

Download Station – Gere downloads feitos por muitos protocolos, incluindo HTTP e FTP. Serve também como client de torrent, embora muito básico.

c1

Hyper Backup – Faz backup de pastas seleccionadas para outros discos à escolha, ou para serviços cloud (dropbox, google drive, hubic, entre outros). Dá para agendar o backup diariamente ou em dias seleccionados.

c2

Cloud Station Server – É o “manager” de duas apps da Synology, o Cloud Station Drive e o Cloud Station Backup. Deve ser instalado no NAS quando se pretende usar as apps referidas.

Cloud Station Drive – É basicamente uma Dropbox caseira. É criada uma pasta com o nome “Cloudstation” dentro dos Documentos do utilizador do Windows e é atualizada automaticamente quando os ficheiros são modificados.

c3

Cloud Station Backup – Faz backup de pastas seleccionadas pelo utilizador. O backup é instantâneo logo após a alteração do ficheiro.

c4

Estas duas ultimas apps têm a vantagem de funcionarem em offline e atualizarem os ficheiros posteriormente quando houver ligação à internet. Também têm a vantagem de atualizarem os ficheiros fora de casa, numa situação em que o NAS não esteja na mesma rede, no entanto, é necessário criar uma conta QuickConnect da Synology.

Pontos Positivos
– Fácil de configurar, com pouca ou nenhuma manutenção
– Interface intuitiva
– Um leque de aplicações oficiais da Synology
– Rápidas velocidades a nível de transferência de ficheiros
– Possibilidade de aceder totalmente ao NAS fora de casa

Pontos Menos Positivos
– Hardware abaixo da concorrência na mesma faixa de preços
– Interface lenta
– A montagem dos discos não é tool-less.
– Não tem filtros para entrada de ar, o que leva à acumulação de pó no interior

Tendo em conta a pontuação acima referida, classifico este produto como SILVER

CLICA PARA COMENTAR!

Comentários

Avaliação:
Qualidade de construção
9
Design
9
Funcionalidades
9
Perfomance
7
Facilidade de uso
9
Preço
6
COMPARTILHE
fakemeta
O Guilherme é natural de Braga mas desde pequeno que vive em Amarante. Atualmente trabalha no Porto ligado à área da saúde. A paixão pela área da informática e video-jogos começou cedo, por volta dos 6 anos de idade. Montou pela primeira vez um computador aos 18 anos e desde então tem feito upgrades regularmente ao seu setup. O Guilherme é parte integrante da equipa JotaReviews.